Heading

Novela Aduaneira IX

Brasileiro, Made in Portugal

22 de março de 2019
Boné em tecido azul-marinho
Boné em tecido azul-marinho, com designação “Alfândega do Porto”, utilizado pelos remadores no inverno, in Exposição “Metamorfose de um Lugar: Museu das Alfândegas” © Arquivo MTC
“De todos os tipos habituais do nosso romance romântico, só o brasileiro tem origem genuinamente portuguesa, de raiz.
O homem fatal e poético, a mulher de cabelos revoltos que perde, a mulher de pestanas baixas que salva, o arrogante fidalgo, com longos nomes e hostil ao século, o padre risonho que bem diz e afaga: todos esses vieram importados de França.

As suas dores, as suas descrenças, os seus murmúrios de amor, tudo chegou pelo paquete, e pagou direitos na Alfândega, misturado aos couros ingleses e às peças de pano Sedan…
O brasileiro, porém, era só nosso, todo nosso, deste solo que pisamos, castiço e mais originalmente português que a chalaça e a louça das Caldas. Mais que nacional, era local. Era do Minho, como o vinho verde.”

Eça de Queirós – Notas Contemporâneas: excerto publicado na ALFÂNDEGA Revista Aduaneira s/d

Adicionar comentário

Scroll