Heading

Novela Aduaneira XIII

Uma Saída Airosa

13 de julho de 2020
Novela Aduaneira XIII
Pauta Geral das Alfândegas, “Metamorfose de um Lugar: Museu das Alfândegas” © Arquivo MTC
“Malaquias tinha diante dos olhos as lindas pernas, modeladas e fortes, de Elsa Monteiro, que a saia curta mostrava sem discrição.

E continuou, inspirado:
- Numa greve operária no estado de Nova Iorque sabem V. Exªs. o que os operários reclamavam? Um salário que lhes permitisse comprar dois pares de meias de seda por mês para as suas mulheres!
D. Rita, interessada pela história, interrogou com pasmo, quase incrédula:
- De seda?!

E como Malaquias confirmasse, comentou, voltando-se para a filha:
- Ouviste esta? E são operários…

Elsa baixou os olhos e disse, com ligeira malícia:
- Dois pares por mês, nem quando o Ernesto for promovido…

Malaquias riu do gracejo e insistiu, caloroso:
- Tem V. Exª. muita razão. As boas meias, as Gui, custam setenta e cinco escudos… Há umas imitações inferiores…

E, sem se conter, como um caixeiro de modas que lisonjeasse uma freguesa:
- Vai tudo, também, das pessoas que as usam… Em certas pessoas, até uma simples meia de seda vegetal, parece outra coisa…

Em resposta Madame Monteiro, que corara, puxou discretamente a saia para baixo, e disse, sorrindo:
- Vejo que V. Exª. sabe o preço das coisas… Naturalmente é casado…
- Não, minha senhora, sou solteiro. Mas, nós, os homens públicos, temos obrigação de conhecer esses detalhes por causa, por causa…

Hesitou, para encontrar a explicação e concluiu com gravidade:
- Por causa das pautas alfandegárias…”

Ramada Curto, in “A vida amorosa de Malaquias Raposo”; excerto publicado na ALFÂNDEGA Revista Aduaneira s/d

Adicionar comentário

Scroll